Cristalina

Contato: (61) 3612-4622 / 9 8529-6967 

  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

corpo dentro de caixa na Praça do Trabalhador, em Goiânia

04/12/2018

Em depoimento, Marcos Mendes Valente, de 25 anos, disse que mantinha um relacionamento extraconjugal com a vítima

Foto: Jerônimo Jr.

 

Pouco mais de um mês após o crime, a Polícia Civil prendeu dois suspeitos de participação no assassinato da vendedora Géssika Sousa dos Santos, de 27 anos, que teve o corpo colocado em uma caixa e abandonado na madrugada do último dia 30 de outubro na Praça do Trabalhador, ao lado da Rodoviária de Goiânia, no Centro da capital. O autor confesso do assassinato garante que mantinha um relacionamento extraconjugal com a vítima, que era casada e mãe de duas filhas.

 

Marcos Mendes de Matos, de 25 anos, foi preso na manhã desta segunda-feira (3), junto com Arthur Gonçalves Nogueira, de 28 anos, na casa onde os dois moravam, no Setor Leste Universitário, em Goiânia. No imóvel, os agentes da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) encontraram manchas de sangue nas paredes e até no teto. Estas manchas, segundo confessou o próprio Marcos, seriam da vendedora.

 

“Ele contou que conheceu a Géssica em um site de relacionamentos e que no dia 29 ela chegou na casa dele às oito da manhã, e eles teriam ficado namorando até às oito da noite, ocasião em que brigaram após ela ter encontrado fotos de outras mulheres no celular dele. Ele então teria agredido ela inicialmente com um murro no nariz, e depois a esfaqueou”, relatou a delegada Magda D’ávila, adjunta da DIH e responsável pelas investigações.

 

O réu confesso afirmou que agiu sozinho, mas a delegada investiga a participação do jovem que morava com ele. “O Marcos contou que após matar a Géssica entrou em desespero, e então enrolou o corpo dela com lençol, colocou na caixa, amarrou com fios de microfone e levou, sozinho, na moto dela, o pacote até a praça. Acontece que além de acharmos pouco provável ele ter conseguido fazer isso tudo sem a ajuda de alguém, principalmente o transporte, testemunhas relataram ter visto dois homens deixando a caixa e a moto lá”, concluiu a delegada.

 

Uma mochila com documentos da vendedora e as chaves da moto também foram encontrados na casa onde moram os dois suspeitos. Géssica teria sido deixada na praça, ainda conforme contou Marcos Mendes, para que a família pudesse encontrá-la logo. Ele ainda negou que teria estuprado a vendedora e alegou que ela estava sem as pontas de alguns dedos porque tentou se defender no momento em que foi esfaqueada.

 

Marcos e Arthur foram presos temporariamente por dez dias, tempo em que a delegada espera concluir as investigações e descobrir a participação, ou não, de ambos no feminicídio.  Do Mais Goiás

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Leia a Edição do mês - Outubro 2019