Caiado lamenta avanço do coronavírus em Goiás e pede: "quem puder, fique em casa"

07/05/2020

O estado chegou ao patamar de 1.024 pessoas infectadas, o que preocupada as autoridades de Saúde.

 

Foto: Reprodução

 

O governador Ronaldo Caiado usou o Twitter na noite da última quarta-feira (6/5) para comentar o aumento vertiginoso do número de casos confirmados de covid-19 em Goiás. O estado chegou ao patamar de 1.024 pessoas infectadas, o que preocupada as autoridades de Saúde. Pela rede social, Caiado lamentou o avanço expressivo do coronavírus no estado e reforçou o pedido para que as pessoas permaneçam em casa.

 

Na publicação, o chefe do Executivo estadual disse que a quantidade confirmada de óbitos em razão do vírus não era apenas um número, mas sim vidas humanas que eram perdidas. “45 mortes não é apenas um número. São vidas! São filhos, país, mães, amigos que, com certeza, estão fazendo muita falta”, lamentou.

 

Caiado ainda manifestou suas condolências aos familiares das vítimas e fez um pedido: “se puder, fique em casa”. “Da nossa parte, nossas condolências aos familiares e um pedido a todos os goianos: quem puder, fique em casa. Se tiver que sair, siga o protocolo de segurança”.

 

Ainda pelo Twitter, o governador declarou que o Estado havia conseguido “ter um bom controle inicialmente por causa das medidas” tomadas, mas que a partir do momento que esses protocolos não são mais respeitados, “o resultado é esse que coloca em risco a vida de nossa gente”. “E eu não posso admitir. Por isso, avaliamos novas medidas”, finalizou.

 

Goiás ultrapassa mil casos confirmados de coronavírus, mas lockdown não é uma opção

 

Em uma entrevista recente, o governador Ronaldo Caiado rejeitou a possibilidade de um lockdown em Goiás em razão da pandemia do coronavírus e do aumento de casos confirmados no estado. Segundo ele, tal alternativa nunca foi discutida, mas caso “haja resistência” por parte da população em atender aos protocolos sanitários, como o uso de máscara de proteção e o distanciamento social, um novo decreto pode ser baixado.

 

“Nunca foi discutido esse assunto de lockdown, nunca existiu isso na nossa discussão. O que existiu é que na semana passada nós detectamos uma queda significativa no isolamento social, e a partir disso eu disse que nós vamos acompanhar os dados. Não é com relação a um dia [de queda no isolamento social] que nós vamos  baixar novo decreto”, declarou.

 

Ainda conforme Caiado, o diálogo com os presidentes dos Poderes e com os prefeitos está sendo feito no sentido de incentivar o aumento da fiscalização quanto ao cumprimento de medidas como uso de máscara de proteção e distanciamento social.

 

Visto como um “botão vermelho”, o lockdown é um protocolo de emergência com a adoção de bloqueio total com o objetivo de limitar a movimentação interna das pessoas em uma cidade, estado ou país, impedindo que haja contato entre os indivíduos

Durante o lockdown, ficam autorizados a funcionar somente os serviços considerados essenciais. Para que cumprido as autoridades podem tomar medidas que vão desde a aplicação de multas e até mesmo prisão. fonte: DiaOmle

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Edição do mês - Versão impressa 

Contato: (61) 3612-4622 / 9 8529-6967 

Cristalina

PORTAL CORREIO